domingo, 1 de junho de 2014

O Sábado e a Trindade

                                                            O Sábado e a Trindade

17 comentários:

  1. assembléia de Deus do sétimo dia chamado de shabat o sábado dos judeus, ou sétimo sábado gregoriano católico?

    ResponderExcluir
  2. Sou Adventista do Sétimo Dia e não creio na Trindade.

    ResponderExcluir
  3. O amado Leitor nunca viu e jamais vai ver um adventista ou qualquer outro sabadista guardar o sábado (shabat) para imitar o judeu que é verdadeiramente o sabatista da Lei. O judeu é “sabatista” os
    adventistas e os outros seguidores do sábado gregoriano são “sabadistas”, ou seja, eles são sabadistas gregorianos.

    Querido Leitor fique sabendo que eles não guardam o sábado do Decálogo, do qual tanto falam, porque não é nada fácil para alguém, muito menos para eles, guardar o shabat, pois é necessário fazer igual ao judeu e cumprir todas as cerimônias ligadas ao shabat e a lei. Então eles inventaram um título para o sábado gregoriano chamando-o de “sábado moral” (para os menos informados, o sábado gregoriano da qual estou falando, é o sábado católico que está no calendário pendurado na parede de sua casa ou no seu celular).

    Se compararmos a maneira que os protestantes usam o domingo com a maneira que os adventistas e os outros sabadistas usam o sábado gregoriano para descansarem seus corpos, vai dar na mesma coisa. Pois em ambos os casos eles somente descansam seus corpos aos finais de semana e vão à igreja, ou seja, eles trocam o seis por meia dúzia.

    Insisto; digo isso com todo respeito e honra que devo a eles, pois não tenho o direito e nenhuma intenção de menosprezar ninguém.
    Os evangélicos têm o domingo como dia do Senhor, ou seja, o dia da sua ressurreição.

    O dia da sua vitória sobre a morte, quando ressuscitou ao terceiro dia. Os evangélicos sabem muito bem, que não existe no Novo Testamento o “domingo” como mandamento ordenado em forma de dia de descanso, assim como também não existe nenhum mandamento ou nenhum escrito no novo testamento, que venha dizer que é obrigado a guardar o shabat como dia de descanso corporal. O que realmente na bíblia tem é o ensino do apóstolo Paulo, que o sábado ou os sábados eram sombra dos bens futuros vejamos o que ele afirmou quanto a esse assunto:

    “Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade, e tendes a vossa plenitude nele, que é a cabeça de todo principado e potestade,no qual também fostes circuncidados com a circuncisão não feita por mãos no despojar do corpo da carne, a saber, a circuncisão de Cristo; tendo sido sepultados com ele no batismo, no qual também fostes ressuscitados pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos;e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos;e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz; e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz.Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados,que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo.”(Cl.2.8-17).

    ResponderExcluir
  4. Oi Jaderson estou mandando esses estudos do meu livro pra você e não sobre a trindade.

    SERÁ QUE DEUS JA MANDOU ALGUMA VEZ GUARDAR O SÁBADO GREGORIANO?

    Quando os sabadistas gregorianos tentam surpreender alguém com a velha indagação: qual o dia que Deus manda observar? Muitas vezes a pessoa não tem nem resposta a dar, ou está despreparada para tal coisa.

    E eles avançam com a seguinte pergunta: você sabe qual é o dia de descanso que Deus mandou guardar? Como de fato o crente evangélico às vezes não sabe responder, logo o sabadista vem com essa resposta usando estes versículos bíblicos: “lembra-te do dia do sábado para santificá-lo”. Daí em diante eles começam a falar sobre o sábado e apresenta estes textos da Bíblia a seguir;

    “Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra, mas ao sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto, abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.”(ÊX.20.8-11)

    Estes são os textos preferidos dos adventistas e de outros sabadistas. No entanto nunca falam que o sábado citado no texto, mostrado por eles, esteja se referindo ao shabat, o sábado dos judeus.
    Eles falam sobre o sábado que usam como descanso corporal, que na condição de sabadista o sábado deles é na verdade o sábado gregoriano. Porém o sábado apresentado por eles nesses textos nada mais é do que o shabat, o sábado original dado por Deus aos judeus. No entanto não guardam esse shabat que está entre os dez mandamentos.

    Se realmente os atuais sabadistas estivessem guardando mesmo este sábado (shabat) desses textos, eles estariam corretíssimos, ou seja, se de fato eles guardassem mesmo o shabat, do modo que Deus ordenou ao povo de Israel, eles estariam com toda a razão, porque o sábado desses textos bíblico apresentado por eles é o shabat, que os judeus guardam e observam com todo rigor exigido pela Lei.

    No entanto o sábado dos adventistas e de outros sabadistas não é e nunca foi o shabat. De modo que ao perguntarmos se eles guardam o shabat do jeito que Deus mandou o povo judeu guardar, eles ficam sem resposta.

    Por que isso acontece? Porque eles apresentam teoricamente o sábado do Decálogo o shabat, porém na prática descansam no sábado gregoriano, que é tão profano quanto o domingo na sua origem como Dies Dominica! Acontece que, por agir assim, todos nós acabamos percebendo que eles, os adventistas mais os outros sabadistas, não guardam o shabat, o verdadeiro sábado do Decálogo.

    E se perguntarmos por que agem desse modo, eles simplesmente ficam sem resposta. Diante dessa situação, somente os judeus guardam do jeito que está ordenado em (Lv.23.2-4) O sábado do sétimo dia mandado por Deus nesses textos é o shabat, o sábado solene, e solenidade são obras cerimoniais, esse é o sábado do Decálogo.

    ResponderExcluir
  5. É preciso esclarecer uma coisa aqui: sabemos que “os pais” da igreja informaram sobre o descanso no primeiro dia da semana; e até mesmo nos dias da igreja primitiva há indício dos apóstolos descansarem seus corpos no primeiro dia da semana.

    Vejam bem a bíblia nunca chama o primeiro dia da semana de “domingo” por quê? Porque esse dia era chamado de primeiro dia da semana no calendário hebraico. Esse título de “domingo” foi inventado pela igreja católica. É como eu já disse; os cristãos provavelmente descansavam nesse dia, como dia da vitória de Cristo sobre a morte e foi nesse dia que o Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou.

    Com base nesses fatos realizados por Cristo, os cristãos do tempo da igreja primitiva usavam o primeiro dia da semana do calendário hebraico para descansarem seus corpos e ao mesmo tempo dedicarem esse dia em devoção ao Senhor.

    Quanto ao vocábulo “Domingo” foi uma invenção do catolicismo entre o segundo e terceiro século. O Domingo no latim litúrgico era chamado de Dies Dominica. De fato não existe a palavra Domingo na bíblia. E por que não tem? Porque não é uma palavra bíblica. Tem sim o primeiro dia da semana.

    E o primeiro dia da semana é o do calendário hebraico o que era usado no novo testamento.
    Os adventistas sabem muito bem disto, que nem o “Domingo” e nem o sábado gregoriano não é citado na Bíblia. Como eles não guardam mesmo o shabat acabam usando o sábado gregoriano. Tanto é verdade que os adventistas e os batistas do sétimo dia (o sétimo dia gregoriano) e mais os outros sabadistas das outras religiões ou seitas recorrem todos os finais da semana católica, ou seja, ao sábado gregoriano católico, para descansarem seus corpos.

    Eles sabem que todas as referencias relativas ao shabat são transliteradas para a palavra “sábado” em versões da Bíblia na língua portuguesa. Os atuais sabadistas tiram proveito dessa situação, visto que nessas versões bíblicas somente citam a palavra sábado e quase nunca se faz referência à palavra hebraica shabat.

    Assim, eles têm o sábado gregoriano como mandamento para descansarem seus corpos, ou seja, eles pegam carona no sábado que está escrito em português, nas versões brasileiras, cujo sábado é o shabat. No entanto na prática eles recorrem ao calendário gregoriano para descansarem em todos os finais de semana.

    Com base nesses textos, eles pregam para todo mundo que eles guardam o sábado. Só se for o sábado gregoriano, porque o shabat eles simplesmente não guardam. Por isso faço uso da liberdade de expressão para expor ao público ledor a verdade sobre a tão controvertida guarda do sábado: adventistas e as outras religiões e seitas sabadistas que adotaram o mesmo sábado gregoriano para repouso semanal tal qual o estabelecido pelo calendário católico.

    ResponderExcluir
  6. A exposição dos estudos apresentados nesta obra não é somente de críticas, mas de revelar a verdade. E a verdade demonstrada neste livro é esta: os adventistas e mais os outros sabadistas nunca guardaram o shabat como os judeus guardam. Ao falar assim não estou a desafiá-los, pois dispenso todo respeito e honra a eles. De fato não estou menos prezando a ambos.

    Veja bem, nem Jesus, nem os judeus e nem os apóstolos e discípulos de Jesus, recorreram a um calendário pagão para escolher um dia de descanso semanal como fazem os adventistas, a “igreja batista do sétimo dia” (o sétimo dia do calendário gregoriano) “igreja de Deus do sétimo dia” e os outros sabadistas com outros nomes que intitulam suas seitas como acontecem nos dias de hoje.

    Esse pessoal usa o sábado do calendário gregoriano católico, para darem descanso aos seus corpos nos finais de semanas. E para ocultar a adoção do sábado gregoriano, usam e ensinam versículos selecionados onde se faz referência ao sábado, para dizerem para os outros que esse é o verdadeiro sábado. No entanto o que está escrito lá, como já vimos antes, é sobre o shabat.

    E o shabat é o sábado do calendário hebraico. É o verdadeiro sábado que foi entregue ao povo de Israel, os judeus. E esse sábado os adventistas nunca guardaram e nunca vão assumir a observância do mesmo, pois esse é o sábado do Decálogo.

    É o sábado cerimonial (Lv.23.2-4) o quarto mandamento que está agrupado com os nove mandamentos formando assim uma seleção de dez mandamentos. (na verdade os dez mandamentos é uma pequeníssima parte da lei, ou seja cerca de um por cento de toda a lei)
    Enquanto que o significado bíblico do shabat, para os judeus no Antigo Testamento, a realidade é muito outra, pois o preceito de guardar ou observar o shabat e a Lei, conforme Deus exige, vai mais além do que os adventistas fazem na prática ao se limitarem a observar o sábado gregoriano.

    ResponderExcluir
  7. Quero deixar bem claro: o sábado gregoriano não é; nunca foi e jamais será, o quarto mandamento do Decálogo. No entanto os adventistas querem forçar a barra e transformar o sábado gregoriano católico no quarto mandamento.

    Leitor, o que estou afirmando é baseado em pesquisas que realmente fiz, onde encontrei fundamento para transformar meus estudos na edição desta obra. Procurei ler a história do sábado que atualmente se encontra incluído na história do calendário juliano-gregoriano.
    Empenhei-me, sem medir esforços, para fazer uma profunda busca da sua origem e como que esse sábado foi parar lá nesse calendário e passou a ficar associado aos dias de férias litúrgicas semanais.

    Tenho, na verdade, feito um acompanhamento minucioso em toda a trajetória histórica do sábado gregoriano. Para minha surpresa descobri que esse sábado gregoriano está totalmente fora do contexto bíblico, ou seja, não é o mesmo o shabat dos judeus, e por esse motivo já afirmei que o sábado gregoriano nunca foi o quarto mandamento do Decálogo.

    VÍNCULO DOS SABADISTAS NO CALENDÁRIO CATÓLICO GREGORIANO


    Conforme essa explicação você leitor já viu que no calendário eclesiástico tem o sabbatum. E é justamente esse o sábado que posteriormente incorporou o adjetivo “gregoriano”, sábado gregoriano, é o sábado adotado pelos adventistas e pelos outros sabadistas.

    Segundo a teologia dos adventistas esse sábado gregoriano é o mesmo sábado do Decálogo. Na verdade não é. Não se pode misturar o impuro com o puro, de fato o que é “humano jamais será divino”.
    Eles não têm como provar que o sábado gregoriano seja o mesmo sábado do Decálogo. Há um capítulo nesta obra que compara a diferença entre o shabat e o sábado gregoriano.

    O Dies Dominica e o sabbatum litúrgico passaram a ser transliterados na língua portuguesa de: sábado e domingo.
    As versões da Bíblia em português sempre citam somente o sábado, e nunca tem lá escrito o shabat. E por não ter nenhuma citação do shabat, os atuais sabadistas agem dessa forma, ou seja, eles saem ganhando muitos adeptos para suas religiões, pelo fato do shabat estar escrito apenas “sábado” nas Bíblias versadas em língua portuguesa.
    E esse é um sábado estranho e está bem distante do que significa dia de repouso sabático nos moldes do que Deus exigia do povo de Israel e que estava prescrito em Lei vigente naquela época.

    Como, de fato, a igreja Católica dominou religiosamente muitas nações, principalmente no passado, implantou o seu calendário litúrgico, e um idioma copiado do latim clássico, denominado de latim litúrgico. O latim litúrgico foi para uso interno.

    Nessa época a igreja católica e acabou tomando posse do calendário Juliano, após a realização do Concílio de Nicéia em 325 dC. De lá para cá a igreja Católica dominou religiosamente quase o mundo inteiro. Nesse tempo o calendário Juliano já estava em seu poder e de seus papas.

    ResponderExcluir
  8. Atualizando para os dias de hoje, o domingo acabou sendo usado como dia de descanso corporal para todos os funcionários das empresas e para as igrejas de diversas religiões e seitas, praticamente em quase todo o mundo, desde quando o império romano deu liberdade as religiões e que a igreja Católica tomou a frente e cresceu no império.
    E foi por esse caminho que realmente o domingo, como dia de descanso corporal, chegou até nós nos dias de hoje. Isso não significa que esses funcionários e empresários guardam o domingo.

    Os trabalhadores, empregados e patrões simplesmente descansam socialmente, folgando seus corpos no domingo. E não obrigatoriamente como um dia de culto e adoração a Deus, em substituição ao shabat. (os adventistas fazem da mesma maneira no sábado gregoriano)
    Quando os empresários e os funcionários estão descansando socialmente seus corpos, no domingo, eles simplesmente pensam em curtir o descanso semanal de seus corpos sem se preocupar com as coisas de Deus. (a não ser que alguém seja convertido a Cristo). Mesmo assim não estão, em hipótese alguma, guardando esse dia.
    Da mesma forma aconteceu com o sabbatum litúrgico, pois de fato o sabbatum litúrgico tem sua origem nas liturgias Católicas. Porém o sabbatum não foi classificado como dia oficial para ser usado como dia de descanso corporal.

    A OPÇÃO DOS ADVENTISTAS PELO SÁBADO GREGORIANO

    Quando a igreja adventista foi fundada, os seus fundadores pegaram ou adotaram o sábado que está no calendário gregoriano, para ser usado como dia de descanso, como se fosse o shabat da Lei. Esse sábado gregoriano, atualmente é a bandeira doutrinaria principal de suas religiões sabadistas.

    Há varias denominações sabadistas e nenhuma delas guarda o shabat do Decálogo. Pois, ao examinarmos as escrituras, o sábado do calendário gregoriano não tem nada a ver com o shabat da Lei.
    O shabat foi criado por Deus e depois por ordem do Senhor Deus, Moisés introduzido na Lei e no calendário hebraico, e usado pelo povo de Israel como sinal e como mandamento, para o descanso corporal,e que tem forte vínculo ao culto a Jeová, o todo-poderoso Deus devido as cerimônias que acompanham. Ao compararmos o shabat que os judeus guardam com o sábado dos adventistas, o sábado gregoriano, encontramos uma diferença descomunal.
    A diferença é tão explícita e fortemente expressiva entre os dois sábados, se percebe que um é de origem divina e o outro é de origem humana; “o que é divino jamais será humano”.

    ResponderExcluir
  9. O shabat foi ordenado com exclusividade ao povo de Israel para guardá-lo. Enquanto que o sábado dos adventistas e de outros sabadistas tem sua origem dentro das liturgias Católicas.
    A igreja Católica, segundo a história, nunca ordenou seus adeptos a guardarem o sabbatum litúrgico que atualmente é chamado de sábado gregoriano. Na Leitura desta obra você vai saber o motivo da igreja Católica não ordenar a observância do sábado gregoriano.
    Quero encerrar esse capítulo dando uma sugestão a você se acaso você for adventista ou sabadista de qual quer uma dessas religiões que professam o sábado do calendário gregoriano.

    ResponderExcluir
  10. no começo desse comentario eu inverti me desculpe por esse erro mas ao ler você vai ver onde está o começo deste estudo.. antonio jose ribeiro neto membro da assembléia de Deus

    ResponderExcluir
  11. no começo desse comentario eu inverti me desculpe por esse erro mas ao ler você vai ver onde está o começo deste estudo.. antonio jose ribeiro neto membro da assembléia de Deus

    ResponderExcluir
  12. O shabat foi ordenado com exclusividade ao povo de Israel para guardá-lo. Enquanto que o sábado dos adventistas e de outros sabadistas tem sua origem dentro das liturgias Católicas.
    A igreja Católica, segundo a história, nunca ordenou seus adeptos a guardarem o sabbatum litúrgico que atualmente é chamado de sábado gregoriano. Na Leitura desta obra você vai saber o motivo da igreja Católica não ordenar a observância do sábado gregoriano.
    Quero encerrar esse capítulo dando uma sugestão a você se acaso você for adventista ou sabadista de qual quer uma dessas religiões que professam o sábado do calendário gregoriano.

    ResponderExcluir
  13. Quero deixar bem claro: o sábado gregoriano não é; nunca foi e jamais será, o quarto mandamento do Decálogo. No entanto os adventistas querem forçar a barra e transformar o sábado gregoriano católico no quarto mandamento.

    Leitor, o que estou afirmando é baseado em pesquisas que realmente fiz, onde encontrei fundamento para transformar meus estudos na edição desta obra. Procurei ler a história do sábado que atualmente se encontra incluído na história do calendário juliano-gregoriano.
    Empenhei-me, sem medir esforços, para fazer uma profunda busca da sua origem e como que esse sábado foi parar lá nesse calendário e passou a ficar associado aos dias de férias litúrgicas semanais.

    Tenho, na verdade, feito um acompanhamento minucioso em toda a trajetória histórica do sábado gregoriano. Para minha surpresa descobri que esse sábado gregoriano está totalmente fora do contexto bíblico, ou seja, não é o mesmo o shabat dos judeus, e por esse motivo já afirmei que o sábado gregoriano nunca foi o quarto mandamento do Decálogo.

    VÍNCULO DOS SABADISTAS NO CALENDÁRIO CATÓLICO GREGORIANO


    Conforme essa explicação você leitor já viu que no calendário eclesiástico tem o sabbatum. E é justamente esse o sábado que posteriormente incorporou o adjetivo “gregoriano”, sábado gregoriano, é o sábado adotado pelos adventistas e pelos outros sabadistas.

    Segundo a teologia dos adventistas esse sábado gregoriano é o mesmo sábado do Decálogo. Na verdade não é. Não se pode misturar o impuro com o puro, de fato o que é “humano jamais será divino”.
    Eles não têm como provar que o sábado gregoriano seja o mesmo sábado do Decálogo. Há um capítulo nesta obra que compara a diferença entre o shabat e o sábado gregoriano.

    O Dies Dominica e o sabbatum litúrgico passaram a ser transliterados na língua portuguesa de: sábado e domingo.
    As versões da Bíblia em português sempre citam somente o sábado, e nunca tem lá escrito o shabat. E por não ter nenhuma citação do shabat, os atuais sabadistas agem dessa forma, ou seja, eles saem ganhando muitos adeptos para suas religiões, pelo fato do shabat estar escrito apenas “sábado” nas Bíblias versadas em língua portuguesa.
    E esse é um sábado estranho e está bem distante do que significa dia de repouso sabático nos moldes do que Deus exigia do povo de Israel e que estava prescrito em Lei vigente naquela época.

    Como, de fato, a igreja Católica dominou religiosamente muitas nações, principalmente no passado, implantou o seu calendário litúrgico, e um idioma copiado do latim clássico, denominado de latim litúrgico. O latim litúrgico foi para uso interno.

    Nessa época a igreja católica e acabou tomando posse do calendário Juliano, após a realização do Concílio de Nicéia em 325 dC. De lá para cá a igreja Católica dominou religiosamente quase o mundo inteiro. Nesse tempo o calendário Juliano já estava em seu poder e de seus papas.

    ResponderExcluir
  14. A exposição dos estudos apresentados nesta obra não é somente de críticas, mas de revelar a verdade. E a verdade demonstrada neste livro é esta: os adventistas e mais os outros sabadistas nunca guardaram o shabat como os judeus guardam. Ao falar assim não estou a desafiá-los, pois dispenso todo respeito e honra a eles. De fato não estou menos prezando a ambos.

    Veja bem, nem Jesus, nem os judeus e nem os apóstolos e discípulos de Jesus, recorreram a um calendário pagão para escolher um dia de descanso semanal como fazem os adventistas, a “igreja batista do sétimo dia” (o sétimo dia do calendário gregoriano) “igreja de Deus do sétimo dia” e os outros sabadistas com outros nomes que intitulam suas seitas como acontecem nos dias de hoje.

    Esse pessoal usa o sábado do calendário gregoriano católico, para darem descanso aos seus corpos nos finais de semanas. E para ocultar a adoção do sábado gregoriano, usam e ensinam versículos selecionados onde se faz referência ao sábado, para dizerem para os outros que esse é o verdadeiro sábado. No entanto o que está escrito lá, como já vimos antes, é sobre o shabat.

    E o shabat é o sábado do calendário hebraico. É o verdadeiro sábado que foi entregue ao povo de Israel, os judeus. E esse sábado os adventistas nunca guardaram e nunca vão assumir a observância do mesmo, pois esse é o sábado do Decálogo.

    É o sábado cerimonial (Lv.23.2-4) o quarto mandamento que está agrupado com os nove mandamentos formando assim uma seleção de dez mandamentos. (na verdade os dez mandamentos é uma pequeníssima parte da lei, ou seja cerca de um por cento de toda a lei)
    Enquanto que o significado bíblico do shabat, para os judeus no Antigo Testamento, a realidade é muito outra, pois o preceito de guardar ou observar o shabat e a Lei, conforme Deus exige, vai mais além do que os adventistas fazem na prática ao se limitarem a observar o sábado gregoriano.

    ResponderExcluir
  15. É preciso esclarecer uma coisa aqui: sabemos que “os pais” da igreja informaram sobre o descanso no primeiro dia da semana; e até mesmo nos dias da igreja primitiva há indício dos apóstolos descansarem seus corpos no primeiro dia da semana.

    Vejam bem a bíblia nunca chama o primeiro dia da semana de “domingo” por quê? Porque esse dia era chamado de primeiro dia da semana no calendário hebraico. Esse título de “domingo” foi inventado pela igreja católica. É como eu já disse; os cristãos provavelmente descansavam nesse dia, como dia da vitória de Cristo sobre a morte e foi nesse dia que o Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou.

    Com base nesses fatos realizados por Cristo, os cristãos do tempo da igreja primitiva usavam o primeiro dia da semana do calendário hebraico para descansarem seus corpos e ao mesmo tempo dedicarem esse dia em devoção ao Senhor.

    Quanto ao vocábulo “Domingo” foi uma invenção do catolicismo entre o segundo e terceiro século. O Domingo no latim litúrgico era chamado de Dies Dominica. De fato não existe a palavra Domingo na bíblia. E por que não tem? Porque não é uma palavra bíblica. Tem sim o primeiro dia da semana.

    E o primeiro dia da semana é o do calendário hebraico o que era usado no novo testamento.
    Os adventistas sabem muito bem disto, que nem o “Domingo” e nem o sábado gregoriano não é citado na Bíblia. Como eles não guardam mesmo o shabat acabam usando o sábado gregoriano. Tanto é verdade que os adventistas e os batistas do sétimo dia (o sétimo dia gregoriano) e mais os outros sabadistas das outras religiões ou seitas recorrem todos os finais da semana católica, ou seja, ao sábado gregoriano católico, para descansarem seus corpos.

    Eles sabem que todas as referencias relativas ao shabat são transliteradas para a palavra “sábado” em versões da Bíblia na língua portuguesa. Os atuais sabadistas tiram proveito dessa situação, visto que nessas versões bíblicas somente citam a palavra sábado e quase nunca se faz referência à palavra hebraica shabat.

    Assim, eles têm o sábado gregoriano como mandamento para descansarem seus corpos, ou seja, eles pegam carona no sábado que está escrito em português, nas versões brasileiras, cujo sábado é o shabat. No entanto na prática eles recorrem ao calendário gregoriano para descansarem em todos os finais de semana.

    Com base nesses textos, eles pregam para todo mundo que eles guardam o sábado. Só se for o sábado gregoriano, porque o shabat eles simplesmente não guardam. Por isso faço uso da liberdade de expressão para expor ao público ledor a verdade sobre a tão controvertida guarda do sábado: adventistas e as outras religiões e seitas sabadistas que adotaram o mesmo sábado gregoriano para repouso semanal tal qual o estabelecido pelo calendário católico.

    ResponderExcluir
  16. Boa noite.
    Paz do senhor gostaria muito de algum endereço da Assembleia de Deus do sétimo dia.
    Se possível um mais próximo da minha localidade. Sou de Pernambuco Recife.

    ResponderExcluir
  17. Meu nome é Elíuson Ferreira pereira, contato 94992573510 ou 94992908112 quero que se for possível a igreja me mande ensinamentos da igreja pois gostaria muito de receber também treinamentos para lideranças para que eu possa ajudar o ministério a se iniciar aqui, já tenho um pouco de experiência como dirigente de congregação mais é em outros modelos de trabalhos

    ResponderExcluir